terça-feira, 23 de junho de 2009

"Volver"


Pedro Almodóvar apresenta seu trabalho mais bairrista com “Volver” (Volver, 2006). Ainda bem que se trata de um diretor com talento suficiente para não fazer disto um problema e assim sua história pode emocionar os quatro cantos do mundo. Retornando às suas raízes com um filme essencialmente cômico, apesar de tocar em assuntos nada agradáveis como morte e incesto, Almodóvar disserta sobre o amor. Não o amor carnal, de casais e amantes. Mas daquele tipo que se estabelece nas relações de uma família. O amor familiar, que transcende o plano físico. “Volver” é um longa, como o título sugere, sobre a volta. Todos nós voltamos para algo em determinadas fases da vida. Voltar pode ser dolorido, pode ressuscitar mágoas, mas às vezes é tudo o que precisamos para seguir em frente. É o que se faz necessário para que feridas se fechem e um ciclo seja completado para que outro possa se iniciar. E para ilustrar estas “voltas”, Almodóvar se apodera do universo feminino. Escalando um elenco predominantemente de mulheres, a emoção se traduz com uma carga ainda mais forte. Em “Volver”, os personagens masculinos não passam de referências pontuais. O diretor volta a trabalhar com sua grande musa, Carmen Maura, que atuou em todos os filmes de Almodóvar na década de 80. A atriz retorna em grande estilo casando perfeitamente o tom entre a comédia e o drama. Penelope Cruz também está sublime e traz a melhor performance da sua carreira. Sua atuação em “Volver” rendeu uma indicação ao Oscar de Melhor Atriz em 2007. A história centra-se nas vidas das protagonistas Raimunda (Penelope Cruz) e Soledad (Lola Dueñas). Duas irmãs que perderam seus pais durante um incêndio na antiga vila onde moravam. O que elas não sabem é que esta tragédia enterrou segredos inimagináveis. Hoje, Raimunda vive com o marido Paco (Antonio de la Torre) e sua filha Paula (Yohana Cobo). Já Soledad mantém um salão de beleza clandestino em seu próprio apartamento e vive solitária desde que seu marido fugiu com uma de suas clientes. Raimunda vive uma fase difícil, pois sustenta a casa sozinha já que seu marido é preguiçoso e está desempregado. Tudo se complica quando Paula acaba matando seu padrasto quando este, bêbado, tenta abusar sexualmente da menina. Para piorar, no momento em que Raimunda se vê às voltas com este pepino, Soledad liga para a irmã para avisar sobre o falecimento da querida tia Paula (Chus Lampreave). Tendo que resolver a situação de sua filha e do marido morto, Raimunda avisa que não poderá comparecer ao funeral. Então, Soledad viaja só até a aldeia em que a tia morava. Enquanto Raimunda busca meios de salvar Paula. Neste meio tempo, Raimunda é procurada pela vizinha da falecida, Agustina (Blanca Portillo). A moça está com um câncer terminal e deseja desesperadamente saber sobre o paradeiro de sua mãe, que sumiu logo depois do fatídico incêndio. Agustina acredita que Raimunda possa ajudá-la já que o fantasma de Irene (Carmen Maura), mãe de Raimunda e Soledad, cuidava da tia Paula. E se Irene fizesse uma aparição para Raimunda elas poderiam descobrir se a mãe de Agustina está viva ou não. Aliás, em “Volver” a temática fantasmal é a chave para a comédia. Raimunda não se mostra muito otimista com a proposta porque mãe e filha tiveram suas diferenças em vida e lidar com a memória de Irene significa lidar com memórias dolorosas. Porém, uma grande reviravolta está para acontecer na vida de Raimunda e Soledad, obrigando as duas irmãs a, finalmente, acertarem suas contas com o passado. É incrível como certos diretores conseguem imprimir sua marca em suas obras. Basta assistir “Volver” para perceber que aquele plano é de Almodóvar, que aquelas cores fortes e músicas intensas são do mestre espanhol. E também com “Volver”, você deixa de enxergar o aspecto sombrio da morte e abre os olhos para o encantamento presente no viver.


Por Gabriel Von Borell




Ficha Técnica
Título Original: Volver
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 121 minutos
Ano de Lançamento (Espanha): 2006
Site Oficial: www.sonyclassics.com/volver
Estúdio: Canal+ España / El Deseo S.A. / TVE / Ministerio de Cultura
Distribuição: Sony Pictures Classics / Fox Film do Brasil
Direção: Pedro Almodóvar
Roteiro: Pedro Almodóvar
Produção: Esther García
Música: Alberto Iglesias
Fotografia: José Luis Alcaine
Desenho de Produção: Salvador Parra
Figurino: Sabine Daigeler
Edição: José Salcedo
Efeitos Especiais: El Ranchito


Elenco
Penélope Cruz (Raimunda)
Carmen Maura (Avó Irene)
Lola Dueñas (Sole)
Blanca Portillo (Agustina)
Yohana Cobo (Paula)
Chus Lampreave (Tia Paula)
Antonio de la Torre (Paco)
Carlos Blanco (Emilio)
Maria Isabel Diaz (Regina)
Neus Sanz (Inês)
Carlos Garcia Cambero (Carlos)
Leandro Rivera (Auxiliar)
Yolanda Ramos (Apresentadora de TV)
Pilar Castro (Ajudante da apresentadora)

14 comentários:

  1. Olá gabriel

    Este filme faz tempo que eu estou querendo ver, mas sempre esqueço de pegar na locadora. A Penelope Cruz deve estar mesmo incrível, gosto muito de suas atuações. Já Almodóvar é Almodóvar, o cara merece total admiração.

    Abraços e até mais.

    ResponderExcluir
  2. Eu já vi um filme do Almodovar, "Kika", que é muito bom por sinal. Vou alugar este para ver também!

    Abraços!!!

    http://tacertoentao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. vou alugar esse filme pra assistir!!!

    ResponderExcluir
  4. opaa
    naum me interessei por esse filme
    no entando
    bom texto

    http://publicandobr.blogspot.com/2009/06/premiados-em-press-e-cyber.html

    ResponderExcluir
  5. Gostei bastante. Um filme melodramático, bem a cara de Almodóvar.

    ResponderExcluir
  6. Nossa primo, isso aqui esta bombando...tantas critica para eu ler e comentar e eu sem tempo, nem li ainda o margot e o casamento...estou curiosa... apartir de segunda minha vida esta mais tranquila...vou ler tudinho. beijãoo grande!!

    ResponderExcluir
  7. verdaaaade (;
    acho que vou fazer a outra por segurança mesmo :D

    ResponderExcluir
  8. Filme incrível, diretor incrível, fotografia incrível, enfim, incrível. ^^

    Obrigado pelo comentário.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  9. Olá, acabei de achar seu blog, em um dos comentarios do 'Tablito', muito bom o texto, apesar de achar um dos filmes mais fracos de Almodovar!

    ResponderExcluir
  10. Querido tem um selinho para no Cinema Paradiso. abraços

    ResponderExcluir
  11. Gabriel

    Gosto do almodovar, vou pegar para ver...

    O que gosto realmente é do teu blog e que eu, particularmente,procuro cultivar lá no Paradiso é o fato de falares sobre os filmes que não os chamados arrasa-quarteirões... Gosto de ver filmes assim, que são poucos vistos e falados e ser surpreendido pela beleza deles (ou mesmo, pela ruindade).

    Filmes assim, são como ostras... ao abri-los (as ostras) podemos encontrar lindas pérolas...

    Abraços

    ResponderExcluir
  12. Penélope Cruz está estonteante! Fiquei hipnotizado por ela, em meio à direção de arte absurdamente incrível. É um filmaço, sem dúvida!

    Abs!

    ResponderExcluir
  13. Tenho uma relação amor-ódio com Almodovar. Ainda não vi este filme...

    Cumps.
    Filipe Assis
    CINEROAD - A Estrada do Cinema

    ResponderExcluir