quinta-feira, 18 de junho de 2009

"Neve Sobre Os Cedros"

Em “Neve Sobre Os Cedros” (Snow Falling On Cedars, 1999), o diretor Scott Hicks narra um período da história dos Estados Unidos que muitos americanos prefeririam esquecer. O filme é um retrato do preconceito étnico contra os nipo-americanos depois do ataque dos japoneses a Pearl Harbor. Hicks mostra como grandes injustiças podem ser cometidas por mera discriminação e julgamentos equivocados. Rico em detalhes, “Neve Sobre Os Cedros” é uma contundente metáfora para desconstruir o preconceito que existia na época. Uma história sobre superação de traumas, que muitas vezes são impostos a nós por pressões sociais. Para contar este complexo período, o diretor escalou um ótimo elenco. Destaque para a atriz japonesa Youki Kudoh. O longa apresenta os conflitos raciais desencadeados pela Segunda Guerra numa aldeia de pescadores da Costa da Califórnia. Paralelamente, “Neve Sobre Os Cedros” aproxima duas culturas através do amor proibido entre o personagem de Ethan Hawke e o de Youki Kudoh. Ishmael (Ethan Hawke) e Hatsue (Youki Kudoh) são cidadãos americanos que se conhecem desde crianças e se apaixonam perdidamente. O único problema é a origem nissei de Hatsue, que obriga os dois a manterem seu relacionamento em segredo, já que suas famílias jamais aceitariam o romance. Tudo se complica quando o Japão ataca a base de Pearl Harbor. Os nipo-americanos são enviados para campos de concentração pelo governo dos Estados Unidos. Assim, as chances do casal de permanecer junto são dizimadas em função dos conflitos inter-raciais que se estabelecem em território americano. Hatsue decide terminar tudo com Ishmael. Atordoado com a perda de seu grande amor, Ishmael é mandado para a guerra e perde seu braço durante um confronto. Ele passa a culpar, inconscientemente, Hatsue pela fatalidade e isto faz com que a lembrança da jovem sempre esteja presente em sua mente. Anos depois, os destinos deles se cruzam novamente quando o marido de Hatsue, Kazuo (Rick Yune), é acusado de assassinar seu melhor amigo de infância na época do aniversário do ataque a Pearl Harbor. O suposto assassinato acontece em circunstâncias misteriosas e a culpa recai sobre Kazuo. Alguns indícios apontam para o marido de Hatsue e a família da vítima quer sua condenação mesmo sem uma prova cabal do crime. Com uma fotografia belíssima, que rendeu uma indicação ao Oscar de Melhor Fotografia, e um tratamento de luzes maravilhoso, “Neve Sobre Os Cedros” transcorre no formato de flashbacks e vai esmiuçando seu enredo conforme os personagens vão sendo chamados a depor no julgamento. A cuidadosa e eficiente trilha sonora também ajuda a compor a trama. Sendo hoje um jornalista, Ishmael acaba investigando o caso e se envolvendo cada vez mais à medida que o julgamento vai ganhando seus contornos finais. O jornalista se encontra em meio a um grande dilema: ajudar àquela que lhe causou um imenso mal no passado e ainda por cima salvar o homem que está casado com sua amada. Superando todo o ressentimento que sente, Ishmael assume um papel determinante para o desenrolar dos fatos, num claro exemplo de profissional ético. A contribuição de Ishmael no tribunal prova o quanto uma determinada situação social pode causar danos e injustiças irreparáveis na vida das pessoas. Os preconceitos mascararam a realidade e ocultam a verdade que está diante de nossos olhos. “Neve Sobre Os Cedros” é, acima de tudo, uma trama sobre justiça. É uma amostra de que nem tudo é o que parece ser. Às vezes uma revelação pode mudar tudo.


Por Gabriel Von Borell



Ficha Técnica
Título Original: Snow Falling on Cedars
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 127 minutos
Ano de Lançamento (EUA): 1999
Site Oficial: www.snowfallingoncedars.com
Estúdio: Universal Pictures
Distribuição: Universal Pictures / UIP
Direção: Scott Hicks
Roteiro: Ronald Bass e Scott Hicks, baseado em livro de David Guterson
Produção: Ronald Bass, Kathleen Kennedy, Frank Marshall e Harry J. Ufland
Música: James Newton Howard
Direção de Fotografia: Robert Richardson
Desenho de Produção: Jeaninne Claudia Oppewall
Direção de Arte: William Arnold e Doug Byggdin
Figurino: Renee Ehrlich Kalfus
Edição: Hank Corwin
Efeitos Especiais: Industrial Light & Magic / Sony Pictures Imageworks

Elenco
Ethan Hawke (Ishmael Chambers)
James Cromwell (Juiz Fielding)
Richard Jenkins (Xerife Art Moran)
James Rebhorn (Alvin Hooks)
Sam Shepard (Arthur Chambers)
Zeljko Ivanek (Dr. Whitman)
Eric Thal (Carl Heine Jr.)
Max von Sydow (Nels Gudmundsson)
Youki Kudoh (Hatsue Miyamoto)
Rick Yune (Kazuo)

14 comentários:

  1. o único problema deu ver filmes como esse é q me dá raiva da ignorância q algumas culturas querer impor sobre tudo... um casal ficar junto por exemplo, e só pela nacionalidade... =S
    gostei bastante do poster
    ethan hawke no elenco, interessante
    abraçooo

    ResponderExcluir
  2. To seguindo seu blog :)

    Esses filme sempre vejo na locadora e acabo n alugando n sei pq uahuah

    vou tentar alugar qq dia desses.

    ResponderExcluir
  3. esse filme é muito bonito, eu gostei muito dele.

    ResponderExcluir
  4. [Gabriel, o último comentário que fizeste no CINEROAD não pode ser aprovado. Dizia lá explicitamente para comentares na página oficial do BRAVEHEART. Por fazer, volta a comentar, agora na página oficial: Braveheart - O Desafio do Guerreiro Obrigado.]

    ResponderExcluir
  5. Oi Gabriel...
    Todos os finais de semana lá estou na locadora...Nunca tinha ouvido falar deste filme, mas pela descrição parece-me imperdível. Vou alugar com certeza!
    Abs,

    ResponderExcluir
  6. Olá gabriel

    Não conhecia este filme e nem esses acontecimentos que são narrados no filmes. Então é verdade que os nipo-americanos sofreram preconceitos e até descriminação durante a guerra. Que horror, é meio uma história de Romeu e Julieta - amor proibido - mas deve ser muito bonito. VALEU PELA DICA.

    abraços e até mais =D

    ResponderExcluir
  7. Divergência cultural... isso sempre vai acontecer quando vemos filmes estrangeiros. Bem, cara, valeu pelo elogio lá no Hora certa. O programa vai deslanchar mesmo só em agosto, mas já deu pra ver ou ouvir como vai ser né? hha Abração!!!!!!

    ResponderExcluir
  8. Filipe de Almeida19 de junho de 2009 18:49

    Parabéns pelo blog, garoto. Muito bom.
    Fico feliz pelo sucesso.
    Abs.

    ResponderExcluir
  9. Ah, obrigada! :D
    Eu também sou ariana legítima, e meu sonho de Jornalismo está sim sendo adiado. Motivo 1: Meus pais. Motivo 2: A universidade daqui não tem alunos suficientes para abrir turma por enquanto e eu preciso estudar urgente Motivo 3: Mercado de trabalho.

    Vou fazer Nutrição, mas depois ainda tenho esperança de cursar o que eu realmente quero, haha. Me conta, você trabalha onde?

    Beijos, e to te seguindo tb!

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia, mas gostei muito da premissa. Gosto de filmes sobre amores proibidos... (:
    Abraço!

    ResponderExcluir
  11. Eu já conhecia o filme, mas não tive oportunidade de assistir. O tema me agrada e o elenco parece ser muito bom.

    Abraço

    ResponderExcluir
  12. Pois é amoo demais essa banda.
    Me traz inspiração.

    Gostei da dica do filme, irei procurá -lo.

    abraços!!

    ResponderExcluir
  13. opaa
    esse eu nunk vi cara

    da uma olhada la nu blog

    http://publicandobr.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  14. Lindo

    vou pegar para ver!

    Grato pela indicação!

    ResponderExcluir